A palavra que eu menos escrevo é o que eu mais sinto
O sentimento que eu mais afasto é o que mais me consome.
Algumas coisas se manifestam como por instinto
E estão sempre aqui sem importar qual seu nome

DORCISÕES

Tenho lobos selvagens em minha cabeça
Que passam o dia em uma briga sem fim
Uns fazem que eu lembre, outros que esqueça
E o que resta são apenas cacos de mim

Tem horas que quero muito ficar e fugir
Sempre nesse combate nada ortodoxo
Vontades antagônicas sobrepostas a fluir
Vivendo marginalmente um eterno paradoxo

Tento mudar o espaço-tempo a todo momento
E realizar todas as vontades simultaneamente
Assim acabo por ser mais razão que sentimento

Como toda decisão gera a sua consequência
E não tomá-las também é uma certamente
Cada uma dói no fundo da minha consciência

Lohn/2014

E para quem acha que sempre precisa de mais
Só quero mais dias como esses sem iguais

Neste sábado frio e chuvoso
Nada melhor pra fazer tenho
Que ficar relaxado e gostoso
E assistindo muito desenho